3 min

O ar que respiramos não é todo igual

Publicado em 19.07.2022
Artigo Carlos Reis - CLIMAVER
Artigo Carlos Reis - CLIMAVER

Atualmente, cerca de 80% de todo o nosso tempo é passado no interior de um edifício. Seja no escritório ou em casa, se há algo que nunca deixamos de fazer é respirar. Existindo uma preocupação alargada com a alimentação e com o sono, é obrigatória uma atenção equivalente à qualidade do ar.

Ao ar livre, a concentração de CO2 é de cerca de 750 mg/m³. No interior dos edifícios, este valor aumenta como consequência da respiração. Há estudos que apontam 1.500 mg/m³ como o limiar a partir do qual é registado um decréscimo da qualidade de vida e do trabalho. Uma concentração de 2.250 mg/m³ já configura o limite da legislação portuguesa.

Contudo, a verdadeira realidade, comprovada através de medições, é que há frequentemente exposição a concentrações no ar interior muito acima destes parâmetros. Assim, a forma mais eficiente de proporcionar o caudal de ar do exterior suficiente para renovar o presente no interior dos edifícios é através de uma rede de ventilação, por meio de condutas.

Em espaços como lojas, escolas ou hotéis, é comum haver redes de condutas de ventilação em chapa de aço, por vezes ocultas sobre tetos suspensos. Por outro lado, as soluções mais eficientes têm registado um crescimento, como é o caso dos painéis CLIMAVER® 360, pelas mais diversas razões:

  • A fase de instalação é facilitada pela leveza do material;

  • É um sistema adequado às condições das obras de reabilitação, conseguindo contornar os ocasionais obstáculos imprevistos;

  • Os painéis podem ser cortados e transformados em condutas no local da obra, o que diminui o tempo de aprovisionamento;

  • A ligação aos elementos terminais da rede é simplificada, assim como a construção de peças;

  • As redes de condutas executadas com painéis CLIMAVER® 360 registam menos fugas de ar, pelo que não há desperdício através das juntas entre condutas;

  • Proporcionam a redução do ruído, dispensando a utilização de atenuadores sonoros;

  • Quanto às emissões de CO2, são significativamente inferiores às de chapa de aço para condutas;

  • Respeitam princípios ambientais, já que são recicláveis e incorporam 65% de matéria-prima reciclada.

Conforme demostram os ensaios, a superfície interior das condutas executadas com painéis CLIMAVER® 360 não promove o desenvolvimento de micro-organismos. O revestimento interior é um tecido inorgânico, que apresenta uma elevada resistência ao desgaste, permanecendo intacto após sucessivas operações de limpeza. Mesmo após vinte anos de utilização, continua a impedir a libertação de partículas. Além disso, o interior da conduta é acusticamente absorvente.

Importa garantir uma taxa mínima de 0,6 renovações de ar por hora, ou seja, um volume de ar exterior equivalente a 60% do volume interior do espaço habitado. A pressão do vento e a abertura de janelas para promover a ventilação são insuficientes no sentido de assegurar o ambiente desejável.

A nova identidade CLIMAVER® 360 vem sublinhar o compromisso da Saint-Gobain Portugal com a gestão racional dos recursos, passando os painéis a incorporar ainda mais materiais reciclados, e vem facilitar quer o processo de conceção, apoiado agora em ferramentas digitais, quer o processo de execução, com o aperfeiçoamento das superfícies interior e exterior dos painéis.

Carlos Reis, Gestor de Produto da Saint-Gobain Portugal S.A. – Isover, Placo® e Weber in Revista Materiais de Construção, abril - junho 2022.