5 min

Liderança, sustentabilidade e inovação. Afinal, existe uma fórmula de sucesso para o setor da construção

Publicado em 18.12.2023
Liderança, sustentabilidade e inovação

À medida que nos aproximamos de um novo ano, começamos a delinear estratégias e objetivos que nos permitam responder às necessidades de um setor que se pretende cada vez mais sustentável, produtivo e digital.

Estes três conceitos parecem-nos dissociáveis de uma indústria ainda hoje percecionada como uma das mais tradicionais do mundo. Mas, é com orgulho que tenho assistido à adaptação e resiliência das pequenas e grandes empresas do setor. Apesar dos inúmeros desafios, reinventa- se a cada dia, com novas formas de trabalhar, criar, inovar e é cada vez mais competitiva e disruptiva.

A transformação digital a que temos vindo a assistir de forma gradual tem-nos permitido enormes ganhos ao nível da eficiência dos processos. Se por um lado, facilita o acesso à informação do negócio mais facilmente, por outro, permite-nos responder com mais rapidez à dinâmica do mercado, aumentando, assim, a nossa rentabilidade.

Avizinham-se períodos exigentes para as pessoas e para as empresas, de instabilidade política, social e de incerteza. Cabe-nos procurar antecipar a fórmula de sucesso para modernizar a nossa indústria, pelo que, nesta reflexão, destaco seis tendências para o próximo ano, rumo à sustentabilidade, à rentabilidade e à inovação do setor:

  • Construção Sustentável

Ao contrário da construção tradicional é definida como a construção mais económica, tanto nos seus métodos, como nos materiais e soluções que utiliza. É mais ecológica (com menos emissões de CO2, menos consumo de recursos, desmantelamento mais fácil, reciclagem dos materiais, melhor conforto, etc.) e mais eficiente (menor tempo de construção, poupanças financeiras, etc.)

  • Construção Modular

A construção modular oferece inúmeras vantagens em comparação com o método tradicional. É segura, durável, sustentável e, ao contrário do que se pensa, bastante versátil. A grande vantagem deste tipo de construção é, sem dúvida, a redução do tempo necessário para a conclusão do projeto. No entanto, tem também muitos benefícios a nível ambiental: os edifícios modulares podem ser desmontados e os módulos realocados ou reformados para um novo uso. Um exemplo perfeito do que sãos os 3Rs do desenvolvimento sustentável: reduzir, reutilizar e reciclar.

  • Automatização da indústria

Ainda há muito que pode ser feito para alcançarmos a inovação e automatização no setor. Na nossa atividade, um dos principais constrangimentos enfrentados é a falta de mão-de-obra especializada. A escassez de trabalhadores não é uma novidade para o setor da construção, mas tem piorado desde o período pandémico e pode colocar em causa vários projetos a longo prazo. No sentido de enfrentar esta crise de mão-de-obra qualificada, acredito na necessidade de investir em tecnologias que possam ajudar a automatizar os processos construtivos e complementar o trabalho dos profissionais.

  • Impressão 3D

A impressão 3D é uma tecnologia de construção dinâmica, rápida e eficiente que, à semelhança do BIM, representa uma redução de tempo e custos significativa. A utilização desta tecnologia tem contribuído para a redução do uso de matérias-primas através da colocação de material apenas onde é necessário, e permite executar projetos personalizados a um custo reduzido e com excelentes condições de segurança.

  • Building Information Modeling (BIM)

Apesar de não ser um conceito novo para o setor, continua a ser basilar para o seu sucesso e ainda há muitas empresas que não estão a aproveitar as suas vantagens. A modelação digital, ou BIM, ajuda-nos a construir melhor, de forma mais sustentável e mais responsável. Assim sendo, como poderemos tirar partido do BIM? Em que desafios é que o BIM nos ajuda a alcançar o sucesso?

Da estrutura, aos materiais, do design à eficiência energética, o BIM traduz-se numa menor margem de erro, menos desvios orçamentais e mais eficiência nos prazos de execução dos projetos, o que se traduz também numa redução do impacto ambiental dos edifícios.

  • Inteligência Artificial

A inteligência artificial tem o potencial de revolucionar o setor e de se tornar num suporte imprescindível para aumentar a eficiência, qualidade, segurança e sustentabilidade na construção de edifícios. A capacidade de analisar um grande volume de dados, como informações sobre o terreno, condições estruturais, materiais disponíveis e regulamentações, permite prever potenciais problemas, identificar anomalias e riscos e, consequentemente, diminuir a utilização de recursos, mantendo prazos e orçamentos. A IA também pode ser eficaz na otimização do consumo de energia, através da análise de dados históricos e ambientais e fazendo o ajuste automático de sistemas de iluminação, ventilação e climatização.

Acrescento como nota final que a (r)evolução em curso no setor da construção, apesar de combinar todos estes conceitos, transcende a mera modernização de processos. Exige-nos, acima de tudo, uma mudança fundamental na cultura e no mindset nos espaços de trabalho, a par com o desenvolvimento das pessoas, do talento e, por consequência, das organizações. A transição para métodos sustentáveis e inovadores não exige apenas uma evolução técnica, mas de cultura e liderança.

Rita Bastos, Diretora da Saint-Gobain Solutions in Executive Digest.